9ª EDIÇÃO: Festival de Cultura Zabé da Loca homenageará Novinho da Paraíba

novinhoparaiba.jpg

O evento que carrega o nome mais expressivo da cultura monteirense chega a sua nona edição. Este ano o Festival de Cultura Popular do Cariri Zabé da Loca já tem data definida e homenageado escolhido

O evento acontecerá nos dias 20 e 21 de abril, a partir das 21 horas, na Praça João Pessoa, e o homenageado do grande festival, que já se tornou evento cativo da agenda cultural da região caririzeira, será o aclamado monteirense Novinho da Paraíba que representa a tradicional cultura nordestina através do autêntico forró pé de serra.

Um dos maiores projetos culturais de Monteiro o Festival de Cultura Popular do Cariri Zabé da Loca sempre atrai um grande público para prestigiar tanto os homenageados quanto as demais atrações que sobem ao palco para mostrar a sua arte. No ano passado o grande homenageado foi o cantor e compositor Totonho que têm levado sua música de letras irreverentes e dançantes aos quatro cantos do país.

Para a Secretária de Cultura e Turismo do município de Monteiro, Christianne Leal, “este ano não será diferente são esperados na Praça João Pessoa ainda mais expectadores que o ano passado, tendo em vista o crescente público que se renova e aumenta com o passar das edições”.

Valorizar os novos e os já consagrados artistas é um dos intuitos da realização do Festival de Cultura Popular do Cariri Zabé da Loca conforme conta a prefeita Anna Lorena “É na valorização do artista que a cidade ganha. Ganham artistas e principalmente a população que têm a oportunidade de saborear diversas apresentações de forma gratuita, tendo na cidade mais um momento de entretenimento saudável”.

“Queremos mostrar às novas gerações as dádivas dos grandes artistas da terra para que os mesmos saibam que suas raízes são de muita importância na história e na cultura não só de nossa cidade, região ou país. Somos uma terra abençoada na cultura, preservar e conhecer é o nosso dever”, concluiu a prefeita.

Sobre o Homenageado

Mais de 30 anos de carreira e 30 discos gravados, se considera mais lutador do que artista. Para ele, é uma batalha diária resistir, com a ajuda da sanfona e embalado pelo forró, ao tsunami sertanejo que invadiu o nordeste.

O monteirense Novinho da Paraíba gravou seu primeiro álbum, “Forró Fogoso” em 1986, na extinta casa de shows Cavalo Dourado, obteve sucesso de público e crítica, viu que podia viver da arte e não desistiu mais dela.

Além de Luiz Gonzaga, o qual gravou “100 anos de Gonzagão”, Novinho se inspirou em nomes como Trio Nordestino, Marinês e Jackson do Pandeiro. E também já foi fonte de inspiração, gravando em parceria com Maciel Melo, Petrúcio Amorim, Luiz Fidélis e Accioly Neto, além do pessoal da nova geração: Marquinho Maranhão, Cristian Lima e Renato Moreno.

Conhecido por sucessos como “Eu gosto de você”, “Quando você quiser voltar”, “De coração para coração”, “Solidão no peito”, “Estrela cadente” e “Amor pra mais de mil”, leva no seu forró a essência do romantismo em suas letras.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *