Acompanhado de aliados, Haddad vota em São Paulo

haddad-1-ft-marcelo-brandt-gg1.jpeg

O candidato do PT à Presidência, Fernando Haddad, votou na manhã deste domingo (7) no Brazilian International School, colégio localizado no bairro Moema, na zona sul de São Paulo.

Em entrevista coletiva após votar, Haddad elogiou adversários na corrida presidencial que já trabalharam com ele no governo Lula, como Ciro Gomes (PDT), Henrique Meirelles (MDB) e Marina Silva, mas ressaltou que, em um eventual segundo turno, não vai se limitar a procurar partidos e políticos.

“Nós vamos procurar personalidades, pessoas que tenham uma biografia de serviços prestados pelo país para ampliar e para governar com unidade, pela reconstrução democrática do Brasil”, declarou o presidenciável petista.

Votação

Fernando Haddad chegou à zona eleitoral da zona sul de São Paulo pouco antes das 10h, acompanhado pela esposa, Ana Estela Haddad, cercado por jornalistas que tentavam registrar seu voto. Ele levou cerca de um minuto para concluir a votação na urna eletrônica.

Ao sair da cabine de votação, cumprimentou os mesários da seção eleitoral e, abraçado em Ana Estela, fez um “V” de vitória para cinegrafistas e fotógrafos.

Em seguida, teve dificuldades para deixar a sala em razão da multidão de jornalistas que posicionada na entrada do recinto para registrar o voto dele.

Antes de votar em Moema, Haddad participou com Ana Estela de um café da manhã na sede do Sindicato dos Metalúrgicos, no centro de São Bernardo do Campo, na região do ABC. Entre os aliados que foram prestigiar o encontro estavam o candidato do PT ao governo de São Paulo, Luiz Marinho, e o candidato ao Senado Eduardo Suplicy (PT).

O presidenciável do PT irá acompanhar a apuração em um hotel de São Paulo ao lado de colegas de partido, aliados de outras legendas e militantes petistas.

Pouco antes da chegada de Fernando Haddad ao Brazilian International School, um grupo de militantes estava posicionado na porta da escola quando os moradores do prédio em frente começaram a protestar batendo panelas.

No momento em que o petista ingressou no colégio, o panelaço aumentou. Em resposta, militantes petistas cantaram “pode bater, bate panela, é o PT quem tira o povo da miséria”.

Com G1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *