Agricultores da Paraíba poderão renegociar dívidas

 

Dez das 17 agências do Banco do Nordeste (BNB) na Paraíba estão funcionando, a partir desta segunda (29), com horários diferenciados. Serão mais duas horas diárias de atendimento, até 10 de maio, para proporcionar a renegociação de dívidas e a contratação de novas operações financeiras dos agricultores prejudicados pela seca. De acordo com o superintendente do BNB na Paraíba, José Maria Vilar, será possível contratar um crédito novo de até R$ 200 mil para liquidar operações adquiridas até 30 de dezembro de 2012 ou que estejam inadimplentes até 30 de junho de 2012.

O Programa Estiagem, conforme foi nomeado pelo BNB, também terá agências itinerantes, em parceria com a Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural da Paraíba (Emater) e Sindicatos dos Trabalhadores nas regiões que serão atendidas, conforme a demanda dos municípios.

De acordo com Silvio Carvalho, gerente executivo da superintendência do BNB na Paraíba, a ação busca dar mais suporte ao setor primário, responsável por cerca de 6% do Produto Interno Bruto (PIB) do estado e que teve a produção comprometida com o período de seca. O prejuízo revoltou os trabalhadores, que protestaram nas agências do Banco do Nordeste em João Pessoa, Campina Grande e Guarabira, reivindicando também a renegociação das dívidas.

Com juros de 1% ao ano e prazo de pagamento de até 10 anos, o Programa Estiagem ainda prevê 40% de adimplência e poderá retirar até 85% do valor total da dívida na renegociação ou quitação. Este valor será oferecido para trabalhadores da região do Semi-Árido, o que compreende 87% dos municípios da Paraíba.

Os recursos que serão empregados nesta ação são oriundos do Fundo Constitucional de Financiamento do Nordeste (FNE) e possibilitará que o agricultor junte todas as suas dívidas em uma operação de negociação única.

Agricultores familiares poderão renegociar o saldo devedor de seus contratos com o primeiro vencimento em 2016. Neste formato, cada parcela paga até o vencimento terá bônus de adimplência de 80%, mesmo percentual de desconto aplicado em caso de liquidação. Os produtores rurais que não são classificados como produtores familiares também poderão parcelar seu saldo devedor em dez vezes, mas o primeiro vencimento será programado para 2015.

Com G1PB

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *