AMCAP promove reuniões e presidente se mostra preocupado com prazo de implantação de aterros sanitários

A Associação dos Municípios do Cariri e Agreste Paraibano (AMCAP) está promovendo reuniões com os prefeitos associados para discutir a implantação dos aterros sanitários. A preocupação do presidente Francisco Alípio Neves é que a partir de agosto de 2014, os lixões não serão mais permitidos, de acordo com a lei federal 12.305/2010.

A lei também estabelece penalidades pelo seu descumprimento. Os espaços onde são feitos os descartes diários terão de ser substituídos efetivamente pelos aterros sanitários. Além desta condição, os resíduos recicláveis também não serão mais enviados a estes espaços de descarte comum.

Duas reuniões já foram promovidas na sede da Associação, com a presença de prefeitos e representantes dos municípios Queimadas, Boqueirão, Aroeiras, Barra de Santana, Cabaceiras, Fagundes, Riacho de Santo Antonio, Caturité, Gado Bravo, Alcantil, Barra de São Miguel, Caraúbas, Santa Cecília, São Domingos do Cariri e Barra de Santa Rosa.
Além desses encontros, a AMCAP também participou de uma reunião realizada no início da semana na cidade de Queimadas, quando o secretário executivo da Associação, Luiz Carlos Gomes de Lira, esteve presente para participar dos debates.

Novas reuniões serão marcadas para que os gestores possam encontrar a melhor solução de implantação dos aterros sanitários.
Dados

Atualmente o Brasil tem mais de 90% dos seus lixões em céu aberto, sem nenhum tratamento. Cada brasileiro produz de 600 gramas a um quilo de lixo por dia. Se este número for multiplicado pela quantidade de pessoas que moram hoje no Brasil, os números são assustadores, mais de 240 mil toneladas de lixo produzidas diariamente.

Com Giovannia Brito

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *