Apito idealizado na Paraíba é licenciado pela CBF para a Copa de 2014

O instrumento Pedhuá foi oficialmente licenciado pela Confederação Brasileira de Futebol (CBF) para embalar a torcida brasileira durante a Copa do Mundo de 2014. O apito, que tem som de ave e pretende substituir o barulho ensurdecedor das vuvuzelas da Copa da África do Sul, já foi chancelado pelo Governo Federal através do Plano de Promoção do Brasil na Copa, segundo a própria empresa.

O Pedhuá original é um instrumento indígena de madeira que imita sons de pássaros. Além disso, é apontado como o precursor do apito do samba. Para levar para o Mundial, uma equipe de designers da empresa Pedhuá Brasil fez um remodelamento para poder patentear o produto.

“O Pedhuá vai ter a cara da seleção brasileira, do samba e da ginga do nosso futebol. Assim como o Pedhuá, nossa seleção também é associada a uma ave, quando é carinhosamente chamada de “canarinho”. Por esses e outros motivos, sempre acreditamos que o licenciamento com a CBF e com a Seleção era o melhor caminho”, comemora o diretor da Pedhuá Brasil, o paraibano Alcedo Medeiros.

Para evitar transtornos, o produto foi feito em tamanho pequeno e com som suave. Segundo os produtores, se o usuário assoprar com força, o apito trava e o som não é emitido. A intenção é levar o samba, ritmo tipicamente brasileiro, para o estádio de futebol sem precisar ter instrumentos maiores.

O acordo comercial da marca CBF com o Pedhuá irá até 2016 e a expectativa é de que a meta inicial de vender 50 milhões de unidades no Brasil e exterior seja superada. O objetivo da parceria é justamente popularizar o produto, que deve chegar ao mercado já para a Copa das Confederações com um preço acessível. A produção ficará sob a responsabilidade da empresa The Marketing Store.

“Vamos popularizar o Pedhuá, pois o futebol e a música fazem parte do dia a dia de 200 milhões de brasileiros, que agora poderão empurrar a Seleção rumo ao hexa com muito ritmo e samba. Queremos que o Pedhuá seja o instrumento do povo, assim como a nossa Seleção”, enfatiza Medeiros.

Com G1 PB

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *