Após reeleição de Dilma, nordestinos são alvo de preconceito

Não precisou a contagem das urnas ser concluída para que eleitores do PSDB começassem a postar, em redes sociais como Twitter e Facebook, mensagens discriminatórias contra os nordestinos, que reelegeram em peso a presidente Dilma Rousseff (PT) neste domingo. Muitos internautas, revoltados com a vitória do PT, publicaram em suas contas a imagem da bandeira do Brasil na cor preta, com a palavra “luto”.

“Oh povo dos Estados de cima, não querem mudar mesmo né, querem continuar sendo sustentados pelo país inteiro. Tá bom assim”, escreveu uma contadora de São Caetano do Sul (SP). “Tem que morrer comendo capim!!! Pão e circo pra sempre!!!”, escreveu um jovem. “Perceberam que só nos lugares onde tem Cultura Aécio venceu? O voto deveria ser restrito a pessoas minimamente alfabetizadas”, disse outra internauta, que depois de um comentário crítico, apagou o post.

“É uma vergonha. Eles [PT] tomaram conta do Brasil porque ajudam as pessoas que não querem trabalhar com uma mesada. Enquanto os nordestinos ficam deitados em uma rede esperando o Bolsa Família, o Sul trabalha para sustentar o País. É um absurdo”, comentou a advogada Gisele Novaes do Canto, segundo reportagem do portal iG. Ela acompanhou a apuração das urnas no diretório estadual do PSDB, em São Paulo.

Ao publicar os comentários, os eleitores internautas também se esqueceram de fazer a seguinte conta: no Sul e no Sudeste, onde Dilma foi eleita nos estados de Minas Gerais e Rio de Janeiro, ela obteve 26,7 milhões de votos, enquanto Nordeste e Norte deram à presidente 24,8 milhões de votos. A vitória entre mineiros e cariocas, portanto, foi fundamental para a reeleição.

O presidente do TSE, ministro Dias Toffoli, condenou ontem em coletiva de imprensa as manifestações discriminatórias contra os eleitores do PT e principalmente contra os nordestinos. Segundo ele, é necessário que os brasileiros aceitam o resultado das urnas e que a sociedade volte a ser unida. “O processo democrático não é para dividir, é para somar. O desejo da Justiça é a pacificação. A disputa eleitoral acabou”, afirmou.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *