Cerca de 500 mil pessoas não têm acesso à saneamento nas duas maiores cidades da PB

saneamento.jpg

Entre as cem cidades do País, Campina Grande aparece no 37º lugar, em melhor situação que João Pessoa, que aparece em 65º no ranking nacional do saneamento básico.

O déficit de saneamento básico, principalmente no que diz respeito ao fornecimento de esgotos em João Pessoa ultrapassa as 100 mil ligações e em Campina Grande, chega a quase 30 mil. Considerando que cada residência tenha em média quatro pessoas, é possível estimar que cerca de meio milhão de habitantes das duas maiores cidades da Paraíba não tenham acesso à rede de esgoto.

Foi o que revelou um levantamento divulgado pelo Instituto Trata Brasil sobre a situação de saneamento e abastecimento de água nas 100 maiores cidades do país. Campina Grande aparece com 78,38% dos seus domicílios com ligações de esgoto e João Pessoa com menos da metade, 49,14%.

Os únicos municípios do Brasil que aparecem com 100% de saneamento à população são Belo Horizonte (MG), Franca e Santos, as duas últimas no estado de São Paulo.

Em relação ao abastecimento de água, a situação melhora na Capital, com o indicador de atendimento total de água de 94,11%. Campina Grande também aparece no mesmo patamar com 95,33% dos domicílios com abastecimento d’água. Mesmo assim, em João Pessoa, ainda existem 28.202 domicílios sem receber água tratada em casa e em Campina Grande faltam 10.149 ligações.

Ranking

No ranking apresentado pelo Trata Brasil em relação aos dois serviços, Campina Grande aparece em 37º e João Pessoa em 65º lugar entre as 100 maiores cidades brasileiras, quando se trata de abastecimento de água e serviço de coleta de esgotos.

Ligações de água

O levantamento mostrou ainda que no ano de 2012, foram feitas 3,9 mil novas ligações de água, 4,6 mil ligações de esgotos e foram investidos R$ 5,54 milhões no setor em Campina Grande.

Já em João Pessoa, foram 9,5 mil novas ligações de água e 8,8 mil novas ligações de esgotos, com investimentos anuais de R$ 20,89 milhões.

O Instituto revelou também os números da arrecadação do setor por ano. Em João Pessoa, ela atingiu o patamar de R$ 153,90 e em Campina Grande, os recursos arrecadados chegaram a R$ 71,42 milhões.

Fazendo um comparativo entre quanto é investido e quanto é arrecadado, foi retirado um indicador percentual que em Campina Grande não ultrapassou 0,08%. Já na capital da Paraíba, esse indicador ficou em 0,14%. O levantamento deu ainda uma nota avaliativa de 0 a 1 a relação investimento/receita. As cidades paraibanas ficaram com nota 0,21, para João Pessoa, e 0,12 para Campina Grande.

Desperdício de água

Outro item destacado no levantamento do Trata Brasil diz respeito à perda de água. O indicador de perdas totais de Campina Grande chegou a 41,10%; já o das perdas durante a distribuição, ficou em 39.01%. Em João Pessoa, o indicador de perdas mostrou um desperdício total de 43,90% e o desperdício durante a distribuição de 40,63%.

Objetivo da pesquisa

De acordo com o Trata Brasil, o levantamento traça a situação dos 100 maiores municípios do país no que diz respeito ao saneamento básico.

Ele objetiva valorizar os esforços das cidades melhor posicionadas e incentivar para que as que ainda não conseguiram evoluir, trabalhem melhor para oferecer saneamento básico ao maior número de pessoas, beneficiando e dando melhor qualidade de vida à população.

Metodologia

Para a elaboração do ranking foram utilizados indicadores com dados de 2012, elencando informações do setor, como investimento, arrecadação, número de ligações novas e faltantes, entre outros itens.

 

Portal Correio

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *