Dilma anuncia R$ 60 milhões para construção de poços e mais 130 mil cisternas no Nordeste

A presidenta da República, Dilma Rousseff, anunciou nesta manhã em Fortaleza (CE) a liberação de R$ 60 milhões para construção de poços nos estados afetados pela estiagem. Ela ainda prometeu a construção de mais 130 mil cisternas, chegando a 240 mil em julho.

 O pronunciamento foi feito na reunião do Conselho Deliberativo da Sudene, que acontece na capital cearense. O governador Ricardo Coutinho participa do encontro. No início da manhã, antes da reunião da Sudene, ele participou com outros governadores de um café da manhã, convidado pelo governador Cid Gomes (PSB).

A presidente anunciou também a prorrogação do prazo para o pagamento das dívidas contratadas por produtores agropecuários atingidos pela seca. “Todos os agricultores que contrataram crédito para produção tiveram problemas. Nós não podemos ignorar que houve problemas. Se você não teve produção, você não tem receita para pagar sua dívida”, disse Dilma.

Em seu discurso na Sudene, a presidenta disse que veio anunciar novas medidas para combater a estiagem. Como 6.170 carros pipas para a região com aumento de 80% da frota. “Ao mesmo tempo, daremos condições para o Exército melhorar toda sua estrutura no Nordeste para ampliar poços”, afirmou.

Foram anunciados a ampliação de programas federais, com novas medidas no valor de R$ 9 bilhões – incluindo R$ 2,1 bilhões em novos equipamentos para os municípios e R$ 3,1 bilhões em renegociação de dívidas para os produtores, além da construção de cisternas, do fornecimento de carros-pipa, da perfuração de poços e da prorrogação da Bolsa Estiagem.

A presidente declarou que mais de 270 mil cisternas já foram entregues e que o compromisso é de acelerar até julho, entregando 130 mil a mais até completar 240 mil cisternas. Dilma frisou ainda que R$ 60 milhões estão sendo destinados para os estados para construção de poços

“Nunca nada nessa dimensão foi feito”, anunciou a presidenta Dilma que discursou no Centro de Eventos do Ceará para os governadores do Nordeste, Minas Gerais e Espírito Santo, além de autoridades como o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB), e o senador do Piauí, Wellington Dias (PT).

Nesse encontro prévio, realizado no hotel Gran Marquise, antes do encontro com a presidenta Dilma Roussef, o objetivo foi sintonizar o discurso dos pleitos para reunião do Conselho Deliberativo da Sudene, às 11 horas, no Centro de Eventos do Ceará.

Entre as reivindicações dos governadores nordestinos estava o pedido de celeridade nos projetos do governo federal que foram prometidos para combater a seca. Eles manifestaram ainda a insatisfação à unificação da alíquota do ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços), pois alegam que vão perder a oportunidade de atrair indústrias.

Seca

A reunião da presidenta Dilma Rousseff com os governadores foi convocada para discutir medidas para melhorar a convivência com a seca. A estiagem é considerada pelo governo federal como a maior dos últimos 50 anos. Na pauta, programas que objetivam principalmente a reconstrução da base econômica das regiões mais afetadas pela seca. No roteiro presidencial, também está prevista, além de liberação de verbas, prorrogação de programas como o Garantia Safra e o Bolsa Estiagem.

O governador da Paraíba, Ricardo Coutinho, articula com os demais colegas da região o perdão da dívida dos agricultores que perderam toda a colheita em 2012 devido ao prolongamento da seca.

Anúncio

No encontro, a presidenta brasileira anuncia medidas que já antecipou em discurso na última segunda-feira, dia 25, no Sertão do Pajeú, em Pernambuco. Uma delas é a prorrogação dos programas emergenciais, caso do Bolsa Estiagem, que atualmente atende 113 mil agricultores de 263 municípios com R$ 400, divididos em cinco parcelas mensais de R$ 80. A previsão inicial era de que este benefício fosse pago somente até junho, mas Dilma já anunciou que o governo federal fará o pagamento até julho, através de verbas do Ministério do Desenvolvimento Social.

Outro programa prorrogado é o Garantia Safra, gerido pelo Ministério do Desenvolvimento Agrário, que atende municípios onde foram detectadas perdas de, pelo menos, 50% da produção de algodão, arroz, feijão, mandioca ou milho. O benefício é de R$ 140.

No encontro, Dilma ouvirá do governador Eduardo Campos, de Pernambuco, o exemplo do fundo que está sendo criado em todas as cidades pernambucanas para transferência de verba. Ainda em fase experimental, já que boa parte das cidades ainda não aprovou a lei de criação do fundo, o governador deve apresentar o conceito à presidente.

Com Portal Correio

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *