Dois principais açudes de Serra Branca estão em situação crítica e cidade pode sofrer colapso nos próximos meses

acudeserrabranca22012015.jpg

O ano de 2015 já iniciou com uma grande preocupação para milhares de pessoas não só no nordeste, mas também em outras regiões e estados como São Paulo que vivem uma situação crítica de água nos reservatórios, motivada pelos baixos índices de chuvas.

Na cidade de Serra Branca, localizada no Cariri Paraibano a população vive uma situação crítica e assiste de perto os dois principais reservatórios da cidade perderem o volume de água, dia após dia.

A cidade atualmente é abastecida pela Adutora do Congo que leva água do Açude Cordeiro para vários municípios da região. Os dados atualizados nesta quarta-feira (21) pela Agência Executiva de Gestão das Águas (AESA) mostram que o açude Cordeiro está atualmente com apenas 5.041.759 m³ de água, o que equivale a 7,2% de sua capacidade total.

As cidades caririzeiras que recebem as águas do Açude Cordeiro (Congo) podem entrar em colapso nos próximos três meses, caso os órgãos responsáveis não tomem nenhuma atitude como ligar a Adutora através de outros mananciais como o Açude de Sumé (24,1 %) ou Camalaú (24,8%), uma saída apontada por alguns especialistas da área.

Os municípios do cariri tem açudes próprios e alguns deles ainda dispõem de um índice considerável de água, o que não é o caso da cidade de Serra Branca que tem dois grandes mananciais com uma situação bastante crítica. Os açudes Serra Branca I (Açude Velho) que tem capacidade para 2.117.062 m³, como também o Serra Branca II (Açude Novo) que traz um potencial de 14.042.568 m³ de água.

Após algumas chuvas no final do ano passado a população serrabranquense ficou bastante esperançosa com a boa notícia trazida no Jornal da IND de que o Açude Serra Branca II estava com cerca de 25% de sua capacidade, de acordo com os dados oficiais da AESA. Na época a população já prevendo o colapso do abastecimento da d’água do Congo, iniciou cobranças junto às lideranças da cidade para que houvesse a religação da Adutora do Açude Serra Branca II para assim abastecer a cidade.

O Secretário de Agricultura de Serra Branca, Dr. Leonaldo Farias, especialista em Recursos Hídricos e conhecedor-nato do manancial, na época Leonaldo percebeu que as medições não retratavam a realidade que se passava no açude e solicitou a presença de técnicos da AESA no local.

Técnicos da AESA estiveram nesta terça-feira (20) visitando manancial e puderam constatar que os medidores de água do açude não estavam retratando a realidade, e após todos os ajustes foi confirmado que o Açude Serra Branca II está atualmente com apenas 1.328.200 m³, o que equivale a apenas 9,5% de sua capacidade.

De acordo com o Secretário o açude Serra Branca II ainda tem capacidade para a retirada de água, através de caminhões pipas, até no máximo o mês de abril. Retirada de água essa que já vem sendo realizada pela Secretaria de Agricultura e Exército para levar o líquido precioso para a zona rural e também para alguns bairros da cidade que chegam a passar 20 dias sem água na torneira.

O açude Serra Branca I, de acordo com oficiais da AESA, contém apenas 69.448 m³, o que equivale a 3,3% de sua capacidade.

Tendo em vista que as previsões de chuvas para esse ano são desanimadoras, em uma analise geral da atual situação é possível constatar que a cidade de Serra Branca deverá entrar em colapso total de água nos próximos três meses, onde a situação ficará crítica e busca por água cada vez mais difícil.

Com Paraíba Mix

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *