Estudante morre após pai atear fogo com família em casa no Ceará

julianaoliveira.jpg

Morreu na última quarta-feira (21) a universitária Juliana Oliveira, que sofreu queimaduras em um incêndio na residência junto com a família, em Assaré, no interior do Ceará. Ela estava internada há 11 dias no Hospital Instituto Doutor José Frota, em Fortaleza, e havia sofrido queimaduras em 85% do corpo.

 O pai de Juliana, João Batista de Oliveira, era o suspeito de atear fogo na casa junto com a família em 10 de fevereiro e morreu na madrugada de segunda-feira (19). Ele havia sofrido queimaduras em 95% do corpo.

 Juliana Rodrigues tinha 18 anos e era estudante de Economia na Universidade Regional do Cariri (Urca).

Familiares feridos

Outras duas pessoas da família ficaram feridas no incêndio, a mulher e um filho de 11 anos de João Bastista. Eles tiveram ferimentos menos graves, receberam atendimento médico e estão em casa.

As causas do crime ainda não foram esclarecidas. Policiais de Assaré, município onde ocorreu o caso, aguardam a recuperação das sobreviventes para ouvi-las.

Moradores da comunidade retiraram a família da casa em meio às chamas. O vizinho Francisco Lima disse à TV Verdes Mares que viu a fumaça na residência e o desespero dos moradores para salvar a família. Eles arrombaram a porta e conseguiram retirar os quatro feridos. Juliana foi a primeira a ser retirada.

Um outro vizinho disse que o marido, suspeito do crime, é tido como uma pessoa tranquila, mas no momento do crime estava bêbado. Segundo ele, a mulher pediu a separação, e o agricultor não aceitou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *