Fabio maia: a câmara de campina não tem coragem de apurar a propina que os vereadores recebiam

fabio-maia.jpg
Dois dos três vereadores que integram a bancada do PSB na Câmara Municipal de Campina Grande, recuaram da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI), instalada na Casa para apurar as denúncias formuladas contra o ex-prefeito Veneziano Vital do Rêgo (PMDB) pelo ex tesoureiro Renan Trajano.

Anderson Maia e o líder da oposição na Casa, Murilo Galdino, descordaram da forma como a CPI presidida por João Dantas,  foi instalada.

Nesta terça-feira, o presidente do PSB em Campina Grande, Fábio Maia, explicou que o partido decidiu recuar no apoio à “CPI do ex-tesoureiro da PMCG” porque inicialmente entendia que a comissão teria “uma visão abrangente”.

Em entrevista, ele citou que o recuo da CPI em apurar a denúncia de que vereadores da legislatura passada recebiam “mensalinho” foi decisivo para o PSB não respaldar os trabalhos da CPI. A Comissão já realizou quatro reuniões públicas e convocou para depor dois ex-secretários da PMCG. Foram convocados a ex-presidente da Comissão de Licitação da PMCG, Ana Tereza Chaves Loureiro, e o ex secretário de Finanças Júlio César. Na forma que foi criada a CPI não quer apurar o “mensalinho” ou não tem coragem.

Paraíba Informa / polemica

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *