Funcionários da Caixa fazem paralisações exigindo descentralização do ‘Saúde Caixa’ na PB

Os empregados da Caixa Econômica Federal vão intensificar a mobilização na Paraíba para exigir a descentralização do Saúde Caixa, plano de saúde do Banco, reivindicando a abertura de uma unidade autônoma no Estado. A programação de atividades conta com abertura de ouvidorias nesta quarta-feira (15), paralisação de uma hora das agências na quinta-feira (16) e paralisação de 24 horas no dia 19 de junho. A orientação foi tirada no Encontro Estadual de Bancos Públicos da Paraíba, realizado no último dia 04.

A centralização continua provocando estragos no Programa de Assistência Médica Supletiva – Saúde CAIXA. A Gerência de Filial de Gestão de Pessoas (GIPES/RE) que atualmente centraliza a Saúde Caixa dos Estados de Pernambuco, Paraíba e Rio Grande do Norte não está atenta às questões específicas de cada Estado. Os problemas são muitos e o descredenciamento continua crescente na Paraíba.

Os profissionais da saúde credenciados ao plano, assim como os associados, reclamam da burocracia excessiva e da falta de um contato no Estado para resolver as pendências. Quando precisam falar com algum responsável é necessário ligar para Recife. No ano passado foram feitas diversas reuniões com representantes da GIPES em busca de soluções para o problema. Contudo, muitas promessas foram feitas e nenhum resultado prático surgiu até agora. A estrutura do plano na Paraíba resume-se a um funcionário e um estagiário e a reivindicação é que seja instalada uma unidade autônoma do plano na Paraíba.

“O que chama mais atenção é o contraste com o Estado vizinho. Pernambuco, que sedia a GIPES, vive situação bastante diversa. Há abundância de profissionais na rede credenciada, bem como clínicas e hospitais. Está inclusive sendo oferecido um check up em um grande hospital da Capital pernambucana com atendimento de excelente qualidade, rapidez e praticidade deixando aqueles que utilizam esse serviço com orgulho da empresa na qual trabalham. O que justifica esse contraste? Essa disparidade entre Estados vizinhos precisa acabar”, comenta Marcelo Torres, funcionário da Caixa Econômica e diretor do Sindicato dos Bancários de Campina Grande e Região (Seeb-CGR).

Nesta quarta-feira (15) cada empregado da Caixa vai abrir uma ouvidoria na Intranet do Banco com suas queixas em relação ao Saúde Caixa. Na quinta-feira (16), os bancários vão retardar a abertura do expediente ao público em uma hora, para forçar a direção do Banco a atender às suas reivindicações. No dia 19 de junho a paralisação será de 24 horas.

Fonte: Seeb-CGR

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *