Pesquisadores brasileiros e alemães se reúnem em JP para definir estratégias e tecnologias para a seca no NE

f9ae0b4d97e5721f08414bb87c8fcc78.jpg

Para fazer uma avaliação anual das ações e resultados do primeiro ano de execução do projeto de cooperação binacional Brasil-Alemanha, no período de 21 a 23 de outubro, os pesquisadores estarão reunidos na Universidade Federal da Paraíba (UFPB), em João Pessoa (PB).

O Projeto Bramar, de cooperação entre Brasil e Alemanha, desde 2014 reúne pesquisadores de ambos os países em busca de definir estratégias de gestão, tecnologias e inovações adequadas à convivência com a escassez hídrica no Nordeste. O Projetoinvestiga o reúso de água e a recarga gerenciada de aquíferos como parte da gestão integrada dos recursos hídricos no Nordeste brasileiro.

Coordenado pela Universidade Federal de Campina Grande (UFCG) e pela Universidade de Aachen, o projeto envolve 21 entidades pelo lado brasileiro e 10 instituições alemãs, incluindo Universidades, instituições de pesquisa, parceiros industriais, organizações sociais, agências reguladoras de água e comitês de bacias hidrográficas.

Para fazer uma avaliação anual das ações e resultados do primeiro ano de execução do projeto, no período de 21 a 23 de outubro, pesquisadores brasileiros e alemães estarão reunidos na Universidade Federal da Paraíba (UFPB), em João Pessoa (PB). Na ocasião, também serão planejadas as atividades a serem executadas no segundo ano do projeto.

A programação se inicia com a apresentação do professor Carlos de Oliveira Galvão, da UFCG, coordenador do projeto no Brasil. As discussões e avaliações serão realizadas em plenária e também em grupos divididos por áreas temáticas. As áreas experimentais da pesquisa estão localizadas nas cidades paraibanas de Campina Grande, Sumé e João Pessoa, bem como em Mossoró (RN) e Recife (PE). Na programação do evento, será feita uma visita técnica na tarde da sexta-feira, dia 23 de outubro, à área de pesquisa experimental em João Pessoa.

O intercâmbio científico entre os dois países visa proporcionar a implementação de tecnologias inovadoras como estratégias para a diminuição dos efeitos da seca no Nordeste brasileiro. É o caso dos estudos sobre viabilidade de reúso de água realizados em unidade demonstrativa implantada em Campina Grande (PB). Os resultados da pesquisa apontam para o grande potencial presente nas águas residuárias para a produção de mudas nativas e forragem animal.

Para mais informações sobre o projeto Bramar, acesse o site: www.bramar.net

O evento começa a partir das 9h, na quarta-feira (21), no Cedesp/UFPB, na rua da Caixa Econômica Federal, próximo ao Sindicato dos Servidores.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *