Prefeito propõe ampliar São João de Campina Grande da Estação Velha até o Parque do Povo

polo_ronaldo_cunha_lima.png

A edição 2018 do São João de Campina Grande deve passar por uma grande reformulação, conforme anúncio feito nesta terça-feira (5) pelo prefeito Romero Rodrigues. Em entrevista coletiva no Teatro Municipal Severino Cabral, as principais alterações elencadas pelo gestor para o próximo ano da festa junina são a ampliação do espaço da festa, que abrigará palco 360º na Estação Velha (reformada), com novas estruturas e um amplo estacionamento na área atual do Parque do Povo.

Ainda de acordo com o prefeito, a proposta não é definitiva e as pessoas poderão interagir nas redes sociais para reagir às mudanças. O novo projeto contempla um espaço que começa no Parque do Povo e vai até a área próxima à Estação Velha (que será reformada), onde ficaria o palco principal da festa, em formato 360º. Toda a área teria também calçadas padronizadas.

A parte superior do Parque do Povo vai ser reservada para uma estrutura que abrigará a Vila do Artesão e o estacionamento. Na parte inferior será reservado espaços para as apresentações das quadrilhas, com uma arena para apresentações, com camarins e maior infraestrutura.

O palco 360º deve ficar localizado na Estação Velha, com espaço para bares e restaurantes. Vai ter também uma cidade histórica com réplicas da biblioteca central, catedral, Cine Capitólio, Prefeitura e outros.

Haverá um acesso ao Parque do Povo pela rua João Moura até o Polo de Eventos Poeta Ronaldo Cunha Lima – novo espaço localizado na Estação Velha, próximo ao Açude Velho, e que contará com seis ambientes. Um deles será a “Vila da Poesia Popular”, para apresentações de poesias, cordéis, repentistas, emboladores de coco e literatura de cordel.

O local abrigará um tipo de museu resgatando a história do São João de Campina Grande, com “Memorial do Maior São João do Mundo”, “Memorial fotográfico Luiz Gonzaga”, “Memorial Jackson do Pandeiro”, “Memorial das Quadrilhas” – que vai conter as histórias desde o início das quadrilhas -, “Memorial de Marinês” e “Memorial da Sanfona”.

Será montada uma estrutura física para a Locomotiva Ferroviária. A ideia é que o “trem do forró” seja mantido depois do período de São João. A locomotiva deve transitar no espaço da festa.

O trabalho de planejamento para o novo formato foi conjunto entre as secretarias de Planejamento, Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia e Agência Municipal de Desenvolvimento (Amde).

“A ideia do novo projeto é manter a tradição e buscar uma nova alternativa que desse ainda mais grandeza ao evento”, disse Romero Rodrigues.

Com G1PB

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *