A questão da mudança da sede da AL/PB

batinga.jpg

Carlos Batinga tem expertise em mobilidade urbana

Por Carlos Batinga

O que aqui expresso não tem qualquer vinculação institucional com Semob-JP, cabendo apenas adiantar que sobre o referido órgão posso assegurar que ele não foi instado a emitir parecer a respeito da possível nova sede da Assembleia Legislativa na Avenida Epitácio Pessoa e seus impactos em termos da mobilidade urbana naquela área. Este ponto de vista é, pois, eminentemente pessoal/profissional face sobretudo a uma atuação de mais de 40 anos nesse campo da mobilidade urbana e diante da polêmica que já se constata existir na cidade sobre a pertinência ou não da mudança da AL/PB.

Vejo, portanto, com preocupação essa noticiada transferência da Assembleia Legislativa para o prédio do antigo PARAIBAN. E embora não tenha o chamado “conhecimento de causa” quanto aos detalhes técnicos justificadores dessa mudança nem os pertinentes à adequação dos respectivos espaços para estacionamentos, mas sobretudo como residente nesta Capital há exatos 50 anos, antevejo sérios impactos no trânsito do principal corredor de transporte de João Pessoa ou, sendo mais direto, a ampliação dos já frequentes congestionamentos na área em torno da provável futura sede da Casa de Epitácio Pessoa.

Entretanto,outras considerações impõem-se que aqui registre, estas na esperança de que a Mesa Diretora da Assembleia Legislativa as analise e avalie:

-No mundo inteiro as cidades estão fortalecendo seus denominados centros históricos, incentivando atividades comerciais, institucionais e serviços, bem como a valorização cultural e por consequência incrementando atrativos turísticos de indiscutível repercussão econômica. No caso da Assembleia Legislativa do Estado sua sede compõe e dá sentido à praça que, nominada de João Pessoa, ganhou outra emblemática denominação de Praça dos Três Poderes. Neste tempo em que a Prefeitura Municipal empenha-se e efetivamente restaurou vários ambientes do Centro Histórico a exemplo da Praça da Independência, Praça João Pessoa (bem frontal à AL/PB), Casa da Pólvora, Galeria Augusto dos Anjos, Hotel Globo e o Parque da Lagoa, só pra citar algumas intervenções, a retirada da sede da Assembleia Legislativa desse lugar em que hoje se encontra seria como uma iniciativa “na contramão da história”.

– Por outro lado – e exatamente aproveitando esse bom momento que a Cidade de João Pessoa vivencia com essas ações de revalorização de seu Centro Histórico – o mais pertinente e elogiável seria que a Assembleia Legislativa tomasse como exemplo o Poder Judiciário Estadual e buscasse imóveis ao redor de sua sede para redistribuição de seus setores porque, assim fazendo, desafogaria os espaços para melhor acolher seu Plenário e Gabinetes dos Parlamentares, contribuindo com a Capital da Paraíba nesta nova caminhada de revitalização do Centro da Cidade. Não custa lembrar que nas democracias, os parlamentos são considerados “a casa do povo”, e a facilidade de acesso às mesmas é fundamental para que bem cumpram o seu papel.

Esta opinião que aqui expresso faço especialmente como um simples cidadão paraibano que dedicou boa parte da vida profissional à gestão pública de nossa querida Capital.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *