RODOVIAS DO MEDO: Atenção redobrada nas estradas mais perigosas da paraíba

fcdc7e33d7a432f75ffa53d221d40ae1.jpg

O carnaval está chegando e boa parte da população já se prepara para pegar a estrada. Mas a Polícia Rodoviária Federal e o Batalhão de Policiamento do Trânsito da Paraíba (BPtran) alertam os condutores sobre os trechos de estradas mais perigosos no estado. Grande parte dos pontos críticos está localizada no Litoral paraibano, mas também há um trecho no Sertão que chama a atenção.

Entre as estradas federais, a Paraíba tem três trechos entre os mais perigosos do Brasil, de acordo com um levantamento feito pela PRF. O estudo considerou os registros entre outubro/2014 e setembro/2015 e elencou os 100 pontos críticos existentes no Brasil. Dentre esses 100 pontos, o trecho entre os quilômetros 20 e 30 da BR-230 (Viaduto Cristo Redentor, em João Pessoa) está na oitava colocação. Além deles, o estado ainda tem mais dois pontos na lista: o trecho entre os quilômetros 30 e 40 da BR-230, que fica em Bayeux (60º) e entre os quilômetros 460 a 470, próximo a Sousa, no Sertão do estado (68º).

Já os trechos das rodovias estaduais mais críticos estão todos localizados no Litoral. De acordo com o BPtran, as rodovias PB-008, que dá acesso ao Litoral Sul, PB-025, que dá acesso à Lucena, e a PB-004, que passa por Cruz do Espírito Santo, são as mais críticas. Segundo o coronel Almeida, comandante do BPtran, das três, a estrada de Lucena é a que apresenta mais riscos, devido à sua antiguidade.

“A de Lucena é a que mais apresenta risco, porque é mais antiga de todas e ela é cheia de curvas. A PB 008 já é um pouco melhor na estrutura, mas tem um volume grande de carros. Mas todas merecem muita atenção porque nenhuma delas é duplicada, o que favorece o risco de acidentes.

bfee0afd953619a58ebaea665f3927e1

Campanha educativa

Visando conscientizar os motoristas para dirigirem com prudência, o BPtran vai montar, a exemplo de outros anos, o Cine de Trânsito Urbano e Rodoviário, uma espécie de cinema que apresenta um filme com cenas fortes de acidentes rodoviários para chamar a atenção dos condutores. “Nós instalamos o Cine de Trânsito Urbano e Rodoviário nessas rodovias onde nós visualizamos como rodovias críticas durante o carnaval. Na PB 008 nós temos uma base da companhia de policiamento rodoviário estadual e lá todos os foliões que passam pela rodovia, durante os dias do carnaval, são convidados para assistirem filmes com cenas impactantes, cenas violentas de pessoas que se envolveram em acidentes”, explicou coronel Almeida.

Ele acrescentou que é feito um debate com os motoristas sobre as cenas vistas. “Este filme dura em torno de 16 minutos, depois nós complementamos com uma palestra com 14 minutos de um dos policiais. Nós convidamos a população e aquele condutor que passa ali  e está errado, ele automaticamente assiste ao filme e o debate em sala de aula, uma sala climatizada, que cabe umas 20, 30 pessoas. Daí, a pessoa que está errada, depois de toda essa pedagogia, ela  volta, é notificada e tem o seu veiculo recolhido ou não. Mas a pessoa que passa lá corretamente, é convidado. Ano passado não tivemos nenhum acidente no carnaval em Jacumã e cerca de 3 mil pessoas assistiram a este filme e esse ano queremos atingir a meta de 3.500 pessoas”, informou.

Dicas e orientações da Polícia Rodoviária Federal

A PRF também listou uma série de dicas e orientações para os motoristas que vão pegar a estrada neste feriadão. Durante a chuva, ou com o asfalto molhado, a PRF orienta que o motorista deve aumentar a distância em relação ao veículo que trafega a sua frente. Assim, é possível evitar freadas bruscas, que nessas condições elevam o risco de derrapagens e aquaplanagens. Além disto,  o órgão lista uma série de precauções que o motorista deve ter, tais como:

    • As borrachas das palhetas do limpador de para-brisa precisam estar em bom estado de conservação para que a chuva afete o menos possível a dirigibilidade do veículo. Elas devem ser trocadas uma vez por ano;
    • Os faróis devem estar sempre acesos;
    • Redobre o cuidado nas curvas e frenagens;
    • Evite passar em poças ou locais com acúmulo de água;
    • O ‘pisca-alerta’ somente deve ser acionado em caso de parada não prevista ou pane no veículo. Trafegar com o pisca-alerta ligado provoca a sensação de que o veículo à frente está parado, fazendo com que o condutor do veículo atrás freie, com risco de provocar acidente;
    • Em caso de chuva forte, o motorista deve procurar um lugar seguro e, assim que possível, parar o carro. Nunca pare sobre a pista e só pare no acostamento se não houver alternativa; o ideal é parar completamente fora da via.

Na pista molhada, o condutor corre o risco de passar por uma situação de aquaplanagem, que acontece por alguns fatores:

    • Excesso de água na pista;
    • Calibragem inadequada dos pneus;
    • Velocidade incompatível com a via;
    • Pneus desgastados (lisos).

Ao perceber que seu veículo perdeu a aderência com a via, a PRF lista as seguintes orientações:

    • Tire o pé do acelerador até retomar o controle completo da direção;
    • Não freie, pois se as rodas estiverem travadas no momento em que voltar o contato dos pneus com a pista, o veículo poderá desgovernar-se;
    • Segure o volante com firmeza, mantendo-o alinhado.

A PRF orienta ainda que a pista seca não deve ser justificativa para excessos de velocidade.

Paraíba Informa / Rammom Monte

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *