Sindicato critica fechamento de agências: “Fecham lugar de investir na segurança”

sindicadobancomarcospb.jpg

O presidente do Sindicato dos Bancários da Paraíba, Marcos Henriques, criticou nesta quarta-feira (06) a decisão dos bancos que estão fechando agências no lugar de investir na segurança. “Ao invés de apresentar um plano de segurança para coibir a violência, estão fechando as agências”.

Marcos Henriques ainda lembrou dois projetos que estão paralisados na Assembleia Legislativa prevendo “obrigatoriedade dos bancos em investimento de equipamento de segurança”, o que ajudaria no combate à violência. De acordo com ele, apenas este ano já foram registradas 26 ocorrências de violência contra agências no estado, sendo que o Banco Bradesco é o mais visado, seguido pelo Banco do Brasil.

O presidente do Sindicato dos Bancários ainda alerta que com o receio iminente de violência, “os funcionários estão temerosos” e que, “principalmente no interior, muitas vezes as ocorrências causam traumas irreversíveis”.

De acordo com a assessoria de imprensa do Banco do Brasil, duas agências foram fechadas permanentemente nas cidades Mogeiro e Serraria. Também há agências fechadas temporariamente em outras cidades devido a período de reforma após terem sido depredadas em ocorrências de violência. Já o Banco Bradesco foi procurado, mas não forneceu as informações solicitadas.

Marcos Henriques lamenta tantas agências fechadas no estado destacando que os clientes “ficam desassistidos e precisam se deslocar muitas vezes para receber aposentadorias pequenas gastando com o deslocamento”.

Em Alagoa Grande, servidores públicos, aposentados e pensionistas clientes do Banco do Brasil estão tendo que viajar para outras cidades, como Guarabira, para poder sacar os seus salários. A agência foi atacada no dia 23 de fevereiro, quando explodiram o cofre do banco e levaram o dinheiro.

O ClickPB entrou em contato com a assessoria de comunicação da Secretaria de Segurança e da Defesa Social para saber o posicionamento órgão sobre a violência contra os bancos, mas até o fechamento da matéria não obteve resposta.

De acordo com o Mapa da Violência do Sindicato dos Bancários da Paraíba, houve entre 2011 e 2016, 528 ataques às agências bancárias. De acordo com o mapa, o Bradesco é o banco que mais sofreu a ação da bandidagem. Nos últimos cinco anos foram 246 investidas. O Banco do Brasil ocupa o segundo lugar no ranking da violência com 164 ataques.

Paraíba Informa / ClickPB

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.