Sítios geológicos formam ‘reino das pedras’ no Cariri

Lajedo-do-Pai-Mateus.10-768x432.jpg

Lajedo de Pai Mateus, em Cabaceiras. Foto: Paraíba Criativa

O Projeto Geoparque Cariri Paraibano aponta 16 sítios com relevância histórica e geológica tanto ou maior que o Lajedo de Pai Mateus e muito próximos dali. Nos municípios de Cabaceiras, São João do Cariri, Boa Vista e Boqueirão, há lugares com formações rochosas como a do Pai Mateus, com seus famosos “matacões” – rochas arredondadas, inscrições rupestres, cemitérios indígenas, lagoas milenares e a vegetação da caatinga, única no mundo.

Trilhas para caminhadas e passeios de bike, paredões para escalada e muitas outras atividades junto à natureza são alguns atrativos da região, que conta ainda com uma infraestrutura de pousadas, restaurantes e artesanato nos locais, preparada para receber visitantes.

“Estamos fazendo esse alerta para que o movimento na região não pare, pelo contrário. Queremos reverter essa notícia com relação ao Pai Mateus para que ela não seja vista de forma negativa, mas sim como uma oportunidade para se conhecer novos lugares no Cariri paraibano”, ressalta Leonardo Meneses, professor da Universidade Federal da Paraíba e um dos coordenadores do Projeto.

Todos os geossítios e demais monumentos geológicos na área do Geoparque Cariri Paraibano encontram-se em propriedades privadas, sendo assim, sugere-se que, para a visitação, seja feito contato com os proprietários antes de se tentar acessar os geossítios ou então contratar um guia ou condutor local que poderá apresentar os locais aos visitantes de forma segura e em harmonia com o ambiente.

Roteiros pelos lajedos em Cabaceiras

Pedra da Pata: 
geoforma de uma ave (pata), localizada em uma elevação da qual pode-se observar grandes extensões da região do Cariri e ter uma boa visão de quase todo o açude Boqueirão. O local é utilizado esporadicamente para práticas turísticas e realização de trilhas;

Lajedo Manoel de Sousa:
 lajedo com diversos grandes blocos de rocha (matacões), similares aos do Lajedo do Pai Mateus, nos quais apresentam-se a maior quantidade de painéis com pinturas rupestres da área do geoparque, destacando-se uma em especial que representa a lendária ave do Cariri, a ema;

Lajedo Salambaia: mais extenso lajedo da área do geoparque. Apesar de não apresentar tantos matacões em sua superfície como ocorre no Pai Mateus e no Bravo, apresenta, como principais destaques da geodiversidade, bacias de dissolução (gnammas) que formam pequenos lagos nas rochas e as caneluras que se apresentam bastante expressivas, com vários metros de extensão e alcançando profundidades por vezes superior a dois metros. Existe, ainda, ao menos um painel com pinturas rupestres sobre o lajedo e diversos sítios arqueológicos em seu entorno;

Lajedo do Pai Mateus: 
lajedo contendo centenas de matacões, alguns com pinturas rupestres e onde se conta a lenda do eremita Pai Mateus que ali haveria de ter vivido no século XVI e que atuava como curandeiro. Reconhecido internacionalmente pelas formações rochosas (matacões) em formatos arredondados, de dimensões métricas. Apresenta fluxo turístico bem consolidado, sendo o melhor exemplo de associação entre geologia e turismo na região;

Lagoa da Cunhã: 
lajedo em forma de “bacia” que apresenta uma lagoa em sua parte central. Bastante reconhecido no meio científico e acadêmico por apresentar painéis com pinturas e gravuras rupestres e haverem relatos de terem sido encontrados fósseis da megafauna (tais como a preguiça-gigante).Com Portal Correio

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *