Taperoá está sem água e mananciais de outras cidades do Cariri têm apenas 10% da capacidade.

Açude Manoel Marcionilo (Taperoá Paraíba)

Os moradores do município de Taperoá, localizado no Cariri da Paraíba, a 216 quilômetros de João Pessoa, estão sofrendo com os efeitos da estiagem e desde a manhã de quarta-feira (4), não contam mais com o auxílio do Açude Manoel Marcionilo.

O açude, que abastecia a cidade, chegou ao limite da escassez e se apresenta completamente seco. Para enfrentar essa situação, a população terá que pagar para ter água por meio do abastecimento privado de carros pipas.

De acordo com o prefeito do município, Jurandir Gouveia, a administração tentará diminuir os efeitos da falta d’água, por meio de uma máquina para perfuração de uma cacimba de 200 metros, no meio do açude, na tentativa de manter o abastecimento.

Segundo a Agência Executiva de Gestão das Águas, mananciais das cidades de Barra de São Miguel, Caraúbas, Gurjão, Monteiro, Ouro Velho, Prata, São João do Cariri, Serra Branca, Soledade e São José dos Cordeiros, todas no Cariri, caso não estejam secos, apresentam menos de 10% da capacidade total.

Açude do Congo
Outro quadro preocupante é o apresentado pelo Açude do Congo, que abastece todo o Cariri.
O reservatório está com apenas 17% da capacidade, número que diminui pelo menos 2% a cada mês.
com portal correio

Com Portal Correio

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *