Uma cidade parada: Briga política paralisa serviços na prefeitura de juazeirinho

a8b1e8da8ed466edd574dfcf4b65a092.jpg

Uma briga política paralisou ontem a cidade de Juazeirinho, no Cariri do Estado. Para pressionar a Câmara Municipal a votar em uma lei autorizasse o executivo a contratar cargos de direção, a prefeitura paralisou serviços de educação, saúde e obras. Escolas não funcionaram, ônibus que deveriam levar os estudantes também não, hospitais e centros de especialidades não atenderam e caçambas, máquinas e caminhões do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) foram colocados em uma praça da cidade, com faixas de protesto.

Nas faixas, colocadas pela prefeitura, a população leu a seguinte mensagem. “Sem Lei não podemos lhe atender. Governo quer ação. Oposição quer paralisação. PL já!”. Jornalistas da cidade denunciaram o caso nas redes sociais. O prefeito emitiu uma nota, e disse que o hospital não pode funcionar sem um diretor, ou a limpeza pública não poderia ser feita sem alguém que coordenasse o trabalho.

No trecho inicial da nota oficial, a prefeitura chega a culpar a justiça, pela redução nos cargos e pela não oferta dos serviços gratuitos a população. “Desde a expedição, por parte do Tribunal de Justiça do Estado da Paraíba das decisões que declararam a inconstitucionalidade da Lei nº. 510/2009, que dispunha sobre a Estrutura Organizacional Básica da Prefeitura Municipal de Juazeirinho e da Lei nº. 241/1997, que autorizava a municipalidade a contratar serviços profissionais transitórios na modalidade de excepcional interesse público, o Município de Juazeirinho vem sofrendo fortemente para ofertar à sua população, serviços públicos necessários e de qualidade”, diz parte da nota.

O Ministério Público informou irá apurar a paralisação dos serviços na cidade.

Paraíba Informa / Renata Fabrício

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *