Zé maranhão pode sair no lucro com as investigações da operação lava jato

Maranhão.jpg

As investigações da Operação Lava Jato poderão beneficiar diretamente o senador José Maranhão (PMDB). É que o paraibano disputa a presidência da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado com o seu colega de partido, Edison Lobão (PMDB-MA), denunciado pela Procuradoria Geral da República por envolvimento do desvio de recursos da Petrobras.

“Na CCJ, Edison Lobão (PMDB-MA), outro alvo de investigação, perde fôlego na concorrência com o também peemedebista José Maranhão (PB)”, revela o site Congresso em Foco, especializado na cobertura diária do Congresso Nacional.

Na última sexta-feira (6), o ministro Teori Zavascki, do Supremo Tribunal Federal (STF), autorizou a abertura de investigação contra 22 deputados federais, 12 senadores, 12 ex-deputados e uma ex-governadora.

Entre os investigados, dois paraibanos: o senador pelo Rio de Janeiro Lindberg Farias (PT) e o deputado federal Aguinaldo Ribeiro (PP).

Entenda a Lava Jato
A Operação Lava Jato começou investigando um esquema de lavagem de dinheiro e evasão de divisas que teria movimentado cerca de R$ 10 bilhões. A investigação resultou na descoberta de um esquema de desvio de recursos da Petrobras, segundo a Polícia Federal e o Ministério Público Federal.

Na primeira fase da operação, deflagrada em março deste ano, foram presos, entre outras pessoas, o doleiro Alberto Youssef, apontado como chefe do esquema, e o ex-diretor de Refino e Abastecimento da Petrobras Paulo Roberto Costa. A sétima fase da Lava Jato, deflagrada em novembro de 2014, teve como foco executivos e funcionários de nove grandes empreiteiras que mantêm contratos com a Petrobras em um valor total de R$ 59 bilhões.

Parte desses contratos está sob investigação da Receita Federal, do MPF e da Polícia Federal. Só na sétima etapa da operação, foram expedidos 85 mandados de prisão, de busca e apreensão e de condução coercitiva (quando o investigado é levado pela polícia para depor) em municípios do Paraná, de Minas Gerais, de São Paulo, do Rio de Janeiro, de Pernambuco e do Distrito Federal.

Segundo o Ministério Público Federal (MPF), a Lava Jato cumpriu 64 mandados de prisão, 201 de busca e apreensão e 55 de condução coercitiva. Ao todo, 150 pessoas e 232 empresas estão sob investigação da Procuradoria.

Veja a lista dos investigados:

Lava-Jato1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *