Cássio e Lindbergh protagonizam bate-boca

senado.jpg

O clima esquentou nesta terça-feira (8) no Senado Federal entre os senadores Lindbergh Farias (PT-RJ) e Cássio Cunha Lima (PSDB-PB). A confusão ocorreu enquanto o petista discursava na tribuna e tratava como ilegal a operação que conduziu coercitivamente o ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva a depor na Polícia Federal. Durante o discurso, Lindbergh foi interrompido pelo parlamentar tucano, que saiu em defesa do juiz Sérgio Moro, que conduz as investigações da Operação Lava Jato. Cássio ainda disse para o petista que não manchasse sua trajetória política e não passasse de um “Cara Pintada” para um “Cara Lavada”.

“Vossa excelência foi mais além, tratou homens da estirpe moral, da conduta ética de um Sérgio Moro, que compõe a operação Lava Jato, de seqüestradores. O depoimento coercitivo pode até ser criticado, a margem para você discutir se foi abusivo ou não, opiniões diversas neste sentido. Agora chegar ao ponto de dizer que são seqüestradores, ou seja, são criminosos, aqueles que exatamente estão combatendo o crime, é muito. Tenha respeito à sua história, à sua trajetória de Cara Pintada, para não se transformar em um Cara Lavada, pelo amor de Deus”, apontou.

Em um determinado momento a discussão ficou mais forte entre os dois. De um lado, Lindbergh dizia que o PSDB estava “colado” com o deputado federal Jair Bolsonaro (PP-RJ) e ter se aliado a “grupelhos facistas”. Cássio se irritou e acusou o petista de estar junto com o ex-presidente e atual senador Fernando Collor (PTB-AL). Vale lembrar que Lindbergh foi um dos destaques do movimento dos caras-pintadas, que culminou no impeachment de Collor. Episódio que foi lembrado pelo petista.

“Senador Cássio está mentindo. O senhor sabe que aqui eu e Collor a gente mal se cumprimenta, porque teve o episódio desde 92”, afirmou, sendo interrompido a todo momento pelo tucano.

Paraíba Informa / Rammom Monte

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *