Confira a relação com as principais mudanças do Enem para este ano

b_560_292_16777215_00_images_2017_fevereiro_consultainep-400x265.jpg

Recentemente, o Ministério da Educação divulgou diversas mudanças no Enem 2017. Para ajudar os alunos a entenderem quais serão as novidades para a prova deste ano, o Quero Bolsa, site de comparação de faculdades, respondeu às principais dúvidas.

Inscrição

Este ano, a inscrição do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) vai ficar mais cara. Para se inscrever, o candidato terá que pagar R$ 82. No ano passado, a taxa era de R$ 68. As inscrições começam às 10h do dia 8 de maio e terminam às 23h59 do dia 19 de maio, pela internet, no site do Enem . O pagamento deve ser feito até o dia 24 de maio.

Provas passarão a ser aplicadas em dois domingos seguidos

Antes, o Enem acontecia em um único fim de semana (sábado e domingo). Essa mudança no Enem 2017 soluciona a situação dos sabatistas – pessoas que, pela sua religião, guardam os sábados. Até o ano passado, os sabatistas deviam entrar no local da prova no mesmo horário que os demais candidatos, mas só começavam a fazer a prova às 19h. De acordo com o Inep, órgão responsável pela organização do Enem, em 2016 foram 76 mil sabatistas inscritos. Graças à mudança, neste ano eles não precisarão mais ficar confinados durante 5 horas esperando para começar o exame.

A redação passa a ser aplicada no primeiro dia de prova

A decisão de mudar o dia da Redação do Enem do segundo para o primeiro dia de prova foi tomada com base em sugestões coletadas em consulta pública sobre o exame. Assim, a divisão ficará da seguinte forma a partir de 2017:

No primeiro domingo, a duração da prova é de 5h30

– Redação

– Linguagem, Código e suas Tecnologias

– Ciências Humanas e suas Tecnologias

No segundo domingo, a duração da prova é de 4h30

– Matemática

– Ciências da Natureza e suas Tecnologias

Fim de certificado de conclusão do Ensino Médio por meio do Enem

Quando o Enem foi lançado, em 1998, o exame tinha o objetivo de avaliar a qualidade do Ensino Médio por meio do desempenho dos alunos. No entanto, ao longo dos anos, foram sendo atribuídas várias outras utilidades para a prova. No entanto, a partir deste ano isso vai mudar, porque, segundo o Inep, as pessoas poderão obter esse certificado por meio da realização do Exame Nacional de Certificação de Jovens e Adultos (Encceja), que é o exame adequado para esse fim.

Cadernos de questões serão personalizados com o nome do candidato

Trata-se de uma medida de segurança, para evitar fraudes. Os cadernos de questões e os cartões de resposta deste ano serão identificados com o nome e o número de inscrição dos candidatos.

Atendimento especial deverá ser solicitado no ato da inscrição e não mais na hora da prova

Essa é uma mudança na organização da prova. Até o ano passado, pessoas com deficiência e que, por isso, precisavam de tempo extra para a realização da prova, podiam solicitar isso na hora da prova. A partir de 2017, a solicitação de tempo adicional deverá ser feita já na inscrição e os solicitantes devem anexar um documento que comprove os motivos do pedido desse atendimento especial.

Para isenção da taxa de inscrição, o candidato passa a ter de informar seu Número de Identificação Social (NIS) no ato da inscrição

Esta é mais uma medida para aumentar a segurança contra fraudes. Até 2016, a isenção era concedida por meio de autodeclaração e não havia verificações sobre a veracidade da informação. A partir deste ano, o sistema fará a busca automática dos dados do candidato a partir da declaração do NIS. Podem solicitar inscrição gratuita Enem:

– Quem concluiu o Ensino Médio em escola pública;

– Quem é cadastrado no Cadastro Único (CadUnico), do Ministério de Desenvolvimento Social e Reforma Agrária, que identifica pessoas integrantes de famílias de baixa renda;

– Quem tem renda familiar igual ou inferior a um salário mínimo e meio por pessoa e tenha cursado o Ensino Médio inteiro em escola pública ou em escola privada com bolsa integral.

– Quem tiver concedida a inscrição gratuita em 2017 e não comparecer à prova sem justificativa não poderá usar o benefício em 2018.

Esta é uma mudança no Enem 2017 para reduzir as faltas. Em 2016, 30% dos inscritos não compareceram ao exame. A partir deste ano, quem receber a gratuidade na inscrição deve justificar a ausência por meio de atestado médico ou documento oficial que comprove a impossibilidade de comparecimento, ou seja, não haverá mais justificativa por autodeclaração.

Ainda poderei usar a nota do Enem para Sisu, Prouni e Fies?

Sim, poderá, isso não mudou. A nota no Enem continuará sendo consultada para classificar os candidatos a uma vaga em faculdades públicas pelo Sisu, a uma bolsa de estudos pelo Prouni e a um financiamento pelo Fies.

 

 

Com Portal Correio

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *