Temer escolhe novo Ministro da Cultura e deixa paraibano fora da disputa

andreamaral.jpg

O deputado André Amaral (PMDB) parecer estar cada vez mais longe de conseguir emplacar seu nome para compor os quadros do Governo Temer. Citado como um dos indicados ao Ministério da Cultura, o paraibano deve ver a vaga preenchida pelo atual diretor da Agência Nacional do Cinema (Ancine), Sérgio Henrique Sá Leitão Filho.

Segundo informações do Estadão, o parlamentar teria chegado a pedir ao líder do PMDB na Câmara, Baleia Rossi (SP), que intercedesse a favor dele. O deputado, contudo, também enfrentou resistências. Com 26 anos, está em seu primeiro mandato na Câmara Federal. Ele só assumiu o cargo efetivamente em janeiro, após Manoel Júnior (PMDB) renunciar ao mandato para assumir como vice-prefeito de João Pessoa.

O cargo também vinha sendo cobiçado pela deputada Cristiane Brasil (RJ), filha do ex-deputado Roberto Jefferson, presidente do PTB. Em reunião nesta quarta-feira (19) no Palácio do Planalto, porém, Michel Temer (PMDB) avisou a Jefferson e a Cristiane que não iria nomear a parlamentar fluminense, pois já tinha convidado outra pessoa para o cargo. A nomeação pode ocorrer já nos próximos dias. “O presidente disse que a Cristiane tem sido uma guerreira, mas que já tinha convidado outra pessoa. Pediu que a gente não ficasse com raiva. Disse que, da minha parte, não havia problema”, afirmou Jefferson ao sair do encontro.

Na diretoria da Ancine desde abril deste ano, Leitão é ligado ao ex-ministro da Cultura Roberto Freire (PPS), que deixou o cargo em 18 de maio, logo após a divulgação da delação da JBS. Jornalista, ele foi secretário municipal de Cultura do Rio e presidente da Rio-Filme. No primeiro governo Lula, foi chefe de gabinete do então ministro da Cultura Gilberto Gil e secretário de Políticas Culturais da Pasta.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *